Comecei a escrever este post com uma série de insultos iguais a tantos outros que já li hoje à noite à equipa do Benfica mas não vou mentir: não vi o jogo. Tentei, mas o stream por onde estava a tentar ver estava muito sobrecarregado e os jogadores passavam de uma baliza para a outra em apenas dois frames de imagem. Por isso não posso avaliar aquilo que foi o jogo em si. Apenas posso falar sobre aquilo que vi e li.

Primeiro: podiam existir quatrocentos foras-de-jogos mal marcados ao Nuno Gomes e mesmo assim o Benfica não tinha merecido golo. Apesar disso o golo é limpo e mal anulado (verifiquei pelas repetições), apesar de ser uma decisão difícil. A decisão de retirar o penalty é, na minha opinião acertada, a infracção é fora da grande área.

Num jogo equilibrado, embora por uma medida baixa, a balança penderia para o lado Leixonense. A equipa mostrou coragem, força e determinação contra um adversário bem superior,  em teoria, pelo menos. Mostrou que não merece estar tão afundado na tabela classificativa mas, ao mesmo tempo, reforçou a imagem de inconstância de uma equipa capaz de empatar com o Benfica ou o Sporting e, na jornada seguinte, perder com a Naval em casa.

Apesar de tudo estou contente com a vitória do meu Leixões. Não está a fazer o campeonato seguro que todos nós desejávamos, mas consegue aqui e ali fazer brilhantes exibições (como contra o Braga em casa, vitória por 3 0).

Quanto ao Benfica, com tantas questões alheias ao futebol a intervir na equipa, não é de estranhar que o futebol seja muito pouco. A equipa não tem o talento anunciado no início do campeonato e Camacho parece ter desaprendido aquilo que sabia, ou, que me fez crer que sabia na sua passagem anterior pela equipa da luz. Esse foi para mim provavelmente o melhor Benfica dos últimos 15 anos que teve o azar de contrariar o melhor Porto de sempre.

A não ser por um milagre, e eles eventualmente acontecem, o campeonato está entregue ao Porto, que, apesar de não mostrar a clarividência e brilhantismo a que nos habituou, consegue a estabilidade e alguns rasgos de excelente futebol que falta aos rivais.

Aos clubes de Lisboa resta-lhes a consolação do segundo lugar, se algum deles o conseguir manter, já que parecem, na verdade, estar a competir pelo lugar de pior equipa do campeonato.

Share