Cordas vocais e sonoridade

Vibração das cordas vocais e sonoridade [1]

O volume do som vindo directamente das cordas vocais, tem directamente a ver com a explosão de ar vindo dos pulmões para a glote (espaço entre as 2 cordas vocais), de cada vez que a glote abre durante um ciclo vibratório.

Figura 1: Diagrama da secção transversal das cordas vocais.

O que causa explosões  de ar mais fortes  para a  glote?

Quanto mais tempo durar a fase fechada, maior a pressão do ar que se acumula – assim mais forte será a explosão de ar . Para uma fonação suave, a fase fechada é proporcionalmente mais curta, logo a pressão de ar será menor e a explosão de ar é mais fraca. Para  fonação forte, a fase fechada é proporcionalmente mais longa, e a pressão do ar  aumenta mais. Por conseguinte, a explosão de ar é mais forte.

 Como é que se aumenta a duração da fase fechada?

 Os músculos da laringe que fazem as pregas vocais contrair mais fortemente, apertando as pregas vocais com mais força, para que possam resistir à pressão do ar por mais tempo. Os músculos são os thiroaritenoideo, cricoaritenoideo laterais e interaritenóide. Os músculos do pescoço também pode ajudar a fornecer a estabilização, ou ajudarr a produzir o efeito de compressão.

O que acontece com a fase de abertura, quando a pressão do ar aumenta?

Quando a pressão do ar se acumula por um tempo mais longo, não só o ar a explodir mais fortemente através da laringe, mas as pregas são sopradas com mais força e a fase de abertura é mais repentina. A fase aberta é menor, porque as forças que sugam as pregas vocais de volta são também mais fortes. A fase de encerramento, portanto, também é mais súbita, e as pregas vocais voltam à posição de repouso com um maior impacto. A fase de encerramenteo  repentino torna mais difícil a produção de som pelas pregas vocais.

A outra coisa que afecta a sonoridade é a onda sonora ser reforçada pelo trato vocal. Pensemos quando sopramos no bocal de um trompete, e depois sopramos no bocal quando está conectado ao resto da trompete. Esta diferença de som é semelhante à diferença de som quando sai da glote e quando deixa a boca.

 A vibração das cordas vocais e o tom:

FIGURA 2: PAUTA MUSICAL EM QUE SE RELACIONA A FREQUÊNCIA ENTRE A VIBRAÇÃO DAS CORDAS VOCAIS (em Hz) COM A TOTALIDADE DA ESCALA


Quanto mais rápido as cordas vocais vibrarem, mais alto o tom. Um vibração extremamente baixa, cerca de 60vibraçoes por segundo produzem um som grave, enquanto vibrações muito rápidas, cerca de 2000 vibrações por segundo, produzem um som muito agudo.  Para um homem, a frequência normal numa conversa é de cerca de 115 Hz enquanto para as mulheres é de cerca de 200Hz.

Diferentes tipos de vozes têm a sua zona de conforta para diferentes tons. [2]

Por exemplo:

  • Soprano B3 (246,9Hz)
  • Mezzo-Soprano              G3 (196.0 Hz)
  • Contralto            F3 (174.6 Hz)
  • Tenor   E3 (164.8 Hz)
  • Baritono              B2 (123.5 Hz)
  • Baixo    G2 (98.0 Hz)

[1] http://www.lionsvoiceclinic.umn.edu/page2.htm

[2] Titze, Ingo R. 1994. Principles of Voice Production. Englewood Cliffs, NJ: Prentice Hall, Inc., p. 188.

 

Share
Deixe um Comentário

0 Comentários.

Deixe um Comentário


NOTA - Você pode usar estesHTML Tags e atributos:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>